Gestão e os novos tempos

Qual o impacto dos modernos métodos educacionais na gestão das empresas? Frente à evolução das técnicas de educação, a consequência lógica é que o modelo de gestão também evolua. Mas, será que a criança de uma instituição de ensino que adota uma proposta pedagógica moderna chega ao seu primeiro emprego com uma atitude diferente daquela que frequenta a escola tradicional, acostumada a calar e escutar?

Será de fato que a criança da escola moderna já sai pensando de forma menos linear e mais em rede? Ela já está mais acostumada a fazer trabalhos em grupo? Ou, ao contrário, está cada vez mais isolada, ela e o computador? Perguntas difíceis de responder, ainda mais por não haver divulgação de pesquisas sobre o tema. Contudo, alguns estudos mostram que as novas gerações estão cada vez mais longe da fórmula de gestão conhecida como “comando e controle” e requerem uma abordagem de desenvolvimento na gestão.

Isso significa que os jovens líderes, de certa forma, não respondem a esse modelo e, para acompanhar essa transformação, as empresas já estão implementando novos modelos de formação de liderança.

Exemplo disso são empresas de grande porte, como Carrefour e GE, que, cientes de que esse tipo de liderança não é um talento nato, têm desenvolvido em suas universidades corporativas programas de formação de Gestor-Coach.

Mas, qual a conexão entre coaching e gestão? Fácil explicar, já que o trabalho do coach é conhecido, ou seja, ele apoia o profissional para transformar potencial em resultado e para contribuir com os objetivos da equipe como um todo.

Cada gestor precisa entender os princípios básicos e as habilidades de coaching para liderar uma equipe efetivamente. Mas, diferentemente do coach profissional, ele não faz e não pratica isso o dia inteiro, então, é preciso adotar um modelo de coaching que seja rápido, prático, objetivo e possa ser aplicado conscientemente. Além disso, esse gestor precisa desenvolver as competências de ouvir e perguntar, dar feedback e reconhecimento, e, principalmente, desenvolver estratégias para construir uma relação de confiança com os seus subordinados.

Esse é um novo tipo de liderança que surge para suprir a necessidade de um mercado em constante transformação, no qual o foco é de não só levar a organização para um novo patamar de resultados como também de torná-la um espaço de desenvolvimento e retenção de talentos. Um novo modelo de liderança que pode ser uma tendência para as novas gerações que, além de mais questionadoras, precisam se ver inseridas no processo, como parte importante da engrenagem, sendo estimuladas constantemente.

No entanto, todo esse trabalho de desenvolver o gestor é cuidado pela área de Desenvolvimento Organizacional ou Desenvolvimento Gerencial nas grandes organizações, mas nas empresas de menor porte se o empresário não cuidar certamente ninguém o fará. Assim, num momento cujo o empreendedorismo está em alta, é preciso que os pequenos e médios empresários estejam atentos a esse movimento, no qual a gestão do seu negócio precisa estar alinhada aos novos tempos.

Fonte: Eliana Dutra é CEO da ProfitCoach e primeira master coach pela ICF da América do Sul

© 2018  |  ÂNIMA CORRETORA DE BENEFÍCIOS