Buscar
  • B+

Como prevenir a Perda de Audição

Atualizado: 11 de Out de 2018


(Foto: Reprodução)

Fonte: AudioVida


Com o envelhecimento, a perda auditiva acompanha diminuição de todas as funções sensoriais. Por isso, combater o quanto antes a perda auditiva através de um aparelho auditivo adequado é essencial.

Com o passar dos anos, as causas para perda auditiva vêm aumentando, entre elas, cabe destacar a degeneração dos vasos que levam sangue ao ouvido, assim como as alterações das vias auditivas - nervos - como das zonas auditivas cerebrais.

As alterações da função auditiva podem ser causadas por diversos fatores, foi identificado vários fatores psicológicos e físicos, como possíveis causas, isso também inclui o aumento de idade.

Por outro lado, foi comprovado que as mulheres, em geral, conservam boas funções auditivas até idades muito avançadas.

A influência genética é muito importante: o envelhecimento do ouvido é um dado genético. Por volta dos 50 anos de idade, algumas pessoas já apresentam alterações da audição, que se traduz muitas vezes como uma diminuição da percepção de sons agudos.


Manifestações


Embora naturalmente esteja ligada ao envelhecimento, a peresbiacusia; perda de audição na terceira idade; a percepção dos sons mais agudos começa a diminuir por volta dos 30 anos. Depois, a perda da audição vai aumentando, de forma variável, devido a diferentes causas: fatores distintivos, exposição a ruídos, alterações provocadas pela arteriosclerose, etc. Aos 60 anos, já se nota perturbações reais da audição. A pessoa deixa de perceber sons habituais, como a campainha da porta ou o telefone; por outro lado, quando estão em ambientes barulhentos, sentem mal-estar, especialmente quando se quer conversar com várias pessoas.

A principal característica da surdez por idoso é, precisamente, a dificuldade em entender conversas. Também se manifesta no idoso uma necessidade maior de tempo para receber uma mensagem verbal, entende-la e interpretar. Devido a uma ligeira deterioração dos mecanismos cerebrais.

Também entra em conta outros fatores como visuais, enquanto a capacidade de leitura labial é desenvolvida no adulto e na criança, no idoso é o contrário, esta capacidade está diminuída, devido a dois fatores: a perda de visão e a maior lentidão dos processos psíquicos.


O que fazer então?


A primeira medida a se fazer é a remoção eventualmente do tampão de cera do ouvido externo, que acontece em cerca de um terço dos idosos que relatam problemas de surdez. A remoção permite restabelecer uma capacidade auditiva a nível aceitável e suficiente.

A segunda medida é exames anuais, a partir do momento em que surge as primeiras queixas, são necessários para determinar o tipo de perda auditiva e determinar qual o melhor método de correção.

Por fim, uma consulta com o idoso para que aceite o uso de aparelhos auditivos apropriado ao seu caso, para que ele tenha toda a assistência e ajuda necessária.

As próteses auditivas com tecnologia digital são cada vez mais pequenas e discretas, para facilitar a readaptação social do idoso, que manifesta uma tendência de se isolar, até da família, devido a sua difícil compreensão da conversa.

Porem, são muitos os idosos que não se encontram psicologicamente preparados para usar um aparelho auditivo. Assim, é necessário convencer o idoso a usar o quanto antes para facilitar e melhorar a adaptação.

© 2018  |  ÂNIMA CORRETORA DE BENEFÍCIOS